segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Entre Brasília e Rio...Os mistérios do PMDB...

Não há dúvidas...Se as informações publicadas pelo Professor Roberto Moraes são corretas, e tudo indica que sejam, inclusive pela reação de diversos setores do PT, é possível haver algo mais que não tenha sido dito, na súbita "cassação" da pré-candidatura Lindberg Farias...

Por óbvio que seja que o comando nacional do PT pretenda fechar as alianças, para provocar um "plebiscito" que liquide a fatura no 1º turno, e que essa possibilidade se torne mais viável com a desistência do governador de Minas, não é errado supor que os últimos movimentos do PMDB nacional, na tentativa de impor Michel Temer como vice de Dilma, parecem corrdenados com essa nova ofensiva da governador do Rio...

Explico:

Em política, variáveis muito óbvias nem sempre são enxergadas a tempo...

1. A "desistência"de Aécio pode ser fake, e na verdade, evita um desgaste desnecessário do PSDB, possibilita ao zéserra cumprir seu ritual de pré-candidato, e que, em caso de fracasso, mantém a opção mineira intacta, e com boas chances de abrir flancos sensíveis na base aliada do governo federal, inclusive no Rio de Janeiro...Não há dúvidas: a "desistência" do moço das alterosas é um acordo entre as partes...E todo acordo mira um objetivo...
2. Ciente disso, o PMDB nacional força o ritmo das negociações, pois como pede "demais", levará próximo do que deseja, e ainda pode refazer seus caminhos(como sempre fez), com os passos de infidelidade que lhes são característicos e que sustentam sua estada em todos os governos pós-ditadura...
3.Nesse sentido, jogando o "canto da sereia" ao comando petista nacional de que a fatura pode ser encerrada na 1ª rodada, apresenta a "conta"...
4.Depois, com os fatos consumados, o governo já terá pago, e levará sempre menos do que pagou...Se Aécio retorna, a entrega será ainda menor...Bem menor...

É por isso que a decisão de rifar a candidatura de Lindberg não faz muito sentido, ao menos não para o PT...

Ainda que o comando nacional esteja certo, e Dilma vença ainda no 1º turno, restará uma base depredada pelos maiores Estados...Rio, MG, SP e BA...

Poderemos ter, pela 1ª vez, um crecimento vegetativo da bancada, que sempre avançou geometricamente desde 1986...

Com um governo menos carismático, isso é uma bomba-relógio...

2 comentários:

Anônimo disse...

O Xacal deixa de der chato cara
O lula nao quer o lindemberg porra,
Vai la em brasilia e fala com ele babaca.
O PT é lula e pronto e nao ao contrario

Xacal disse...

nossa mãe, que ótima análise...

tão "boa", que nem merece réplica...

que tipo de isiota escreve uma boçalidade dessas...???