sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Foi à pique mais uma caravela...

A esquadra do (des)governador júnior cabral permanece à deriva... Não "descobriram" até agora onde fica o Governo do Estado do Rio...

Ora estagnada pela falta de bons ventos administrativos, ora sacudida pelos vagalhões das tempestades da incapacidade, a esquadra perde caravelas, que afundam em um mar de incertezas...

Com a desistência do tucano-mineirinho, que preferiu ficar de olho em sua fornada de pães de queijo, júnior cabral não tem um plano B, e nem um contraponto para chantagear o Governo Lula, na montagem do seu palanque a reeleição, cada vez mais ameaçado...

Como já dissemos, a polarização da campanha com o duelo serra-ffhhcc e Lula-Dilma, diminui a dependência dos acordos regionais com o PMDB, e seus governadores...

Passa a ser mais relevante garantir, nesse primeiro turno, o aumento das bancadas no Senado e Câmara Federal, o que só acontece quando o PT tem candidaturas próprias...
O PT começa enxergar que precisa, no caso de um governo Dilma, construir e ampliar sua "própria governabilidade", e não ficar refém da "governabilidade alheia"...
Dilma não é o Lula, popstar carismático, e portanto, terá que contar com uma base de apoio mais definida, orgânica e sólida...

A deserção do "príncipe das alterosas" recoloca o PMDB em seu devido lugar: Coadjuvante...Importante aliado, mas ainda assim, coadjuvante...

Na bolsa de apostas do PT do RJ, a cotação de uma candidatura própria está em torno de 5 por 1...

4 comentários:

Anônimo disse...

Chapa Dilma-Temer
Ela tem chance remota de ser candidata à sucessão de Lula. Perdão, remota, não, remotíssima. Temer não tem nenhuma de ser vice. Dela ou de qualquer um. Quércia já “fechou” com o governador de São Paulo, será senador.

E o PMDB, para ficar contra Serra, (este, se ficar livre do xeque-mate de Aécio) perderá pelo menos 50 por cento dos “líderes”.

Xacal disse...

Não entendi, por acaso vc disse que Dilma não em chance de ser candidata...? Se for isso, me diga quais são os fatos que embasam tal "análise", se é que eles existem...

Anônimo disse...

Partido da Tristeza(PT)

o PMDB começa a impor suas reinvidicações como condição ‘sine qua non’ para apoio da pré-candidatura do PT à Presidência da República, ministra Dilma Rousseff (ou outra qualquer).

Eis algumas das reinvidicações:
1- RIO. A retirada da candidatura Lindberg Farias e o apoio à reeleição de Sérgio Cabral;

2- Pará: Jader Barbalho deseja ser candidato único ao Senado;

3- Ceará: Eunício Oliveira quer ser candidato do PMDB e do PT ao Senado;

4- Mato Grosso do Sul: apoio à chapa André Puccinelli (PMDB) para o governo e Delcídio Amaral (PT) para o Senado;

5- Minas Gerais: PMDB e PT contratariam pesquisa e quem estivesse melhor seria o candidato do governo...

Além dessas reinvidicações, não se deve esquecer da conservação dos feudos nordestinos, liderados pelo coronelíssimo senador José Sarney (PMDB-AP) e pelos turbulentos senadores alagoanos Renan Calheiros (PMDB-AL) e Fernando Collor (PTB-AL).

Eles fizeram o trabalho sujo do PMDB no Senado e devem cobrá-lo do presidente Lula.


Levanta que lá vem história

A história (triste) do
PT, no Estado do Rio

Quando Vladimir Palmeira foi escolhido candidato a governador pelo PT, os tempos eram outros. O partido era forte aqui, política e eleitoralmente, e o candidato era muito mais forte, pessoalmente.

Vladimir vetado por Lula

Dentro da sua política de não admitir o crescimento de ninguém, por mais íntimo ou partidário que fosse, Lula torpedeou o candidato, que se elegeria e firmaria projeção nacional.


Vladimir era um LÍDER NACIONAL e foi vetado...

Anônimo disse...

"Não entendi, por acaso vc disse que Dilma não em chance de ser candidata...?"

Caro Xacal, disse há 6 neses que Lindberg não seria candidato, você ironizou(depois eu acho o post); repito Dilma não será candidata. Porém, o PT vence!

PS.: Considero absurda a sua ideia de recolher "A TroLhA", peço-lhe que repense.