terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Interesses cruzados...

O "mineirinho" de arruda, um dos pivôs do escândalo de Brasília, também já "comeu quieto" na horta do zé-serra...Veja aí com detalhes do blog NaMaria(namarianews.blogspot.com)...

SEGUNDA-FEIRA, 30 DE NOVEMBRO DE 2009

InfoEducacional e a Secretaria da Educação de SP


(fonte das imagens)

O moço que aparece feliz da vida e sorridente, ao fundo, ao ver uma bolada de dinheiro chama-se Alexandre Tavares de Assis, vulgo
Mineirinho. Ele é especialista em informática da educação, é pós-graduado em marketing e gestão de negócios, diretor-presidente da Info Educacional, empresa sediada em Belo Horizonte, com filiais em Brasília e Luanda (Angola). Tal empresa e proprietário são citados na Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, sobre o governador José Roberto Arruda (DEM) e seu mensalão no Distrito Federal. A empresa de Alexandre teria "dado" R$60 mil ao secretário de Educação do DF, José Luiz Valente, - há outras versões; mais informações neste vídeo.


A Info Educacional, repare só a coincidência ou em como o mundo dos fornecedores governamentais é minúsculo, teve toneladas de software comprados pela FDE, de 2003 a 2006 - os anos dourados das compras desses produtos. A fornecedora entrou nos negócios do Estado de SP pela fantástica porta da inexigibilidade de licitação.
O software em questão foi o
Virtus - Módulos Básico, Intermediário e Avançado - de Língua Portuguesa, de Matemática e de Língua Inglesa, serviu para dois projetos educacionais da FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação): Trilha de Letras e Números em Ação - de Português e Matemática, respectivamente, desenvolvidos pela equipe da gerência de informática pedagógica da FDE, a pedido da Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas (CENP) da Secretaria de Estado da Educação (fonte). Nomes famosos assinaram os contratos: Tirone Francisco Chahad Lanix (Diretor Executivo FDE: 2003-2005), Alexandre Ortelan dos Passos (Diretor Técnico - 2006), Milton Dias Leme (Diretor de Tecnologia da Informação - 2006).

Pelo que se pode apurar nos labirintos do Diário Oficial de SP, foram feitos os seguintes contratos e pagamentos ao
Mineirinho:

Vale a pena conferir os seguintes links para outras conclusões sobre a estreiteza das relações no universo dos negócios públicos:

-
Vice-governador e Secretário lançam os programas Português e Matemática em Foco (aqui);
-
Tecnologia e linguagem juvenil são ‘ferramentas’ para reforçar aprendizagem de alunos do Ensino Fundamental (aqui);
-
Entrevista com Alexandre Tavares de Assis (aqui);
-
Moderna tecnologia evita evasão escolar e recupera quase 100% dos estudantes (aqui)
- Outras informações no Diário Oficial de SP (
aqui).


Ler mais: http://namarianews.blogspot.com/2009/11/infoeducacional-e-secretaria-da.html#ixzz0YRRKS25A

2 comentários:

Anônimo disse...

xacal,

e em Campos onde um contrato de licensa de utilização de software para " aumentar a arrecadaçao" da secretaria da fazenda custou a quantia de 4 milhoes e setecentos mil reais ?!!!!

Anônimo disse...

O ministro FERNANDO GONÇALVES, do Superior Tribunal de Justiça, mostrou-se ser um homem de peito. Na quinta-feira, véspera da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, ele recebeu em seu gabinete o governador José Roberto Arruda (DEM), do Distrito Federal. Ciente da investigação, não se sabe como, Arruda foi apelar para o bom senso do ministro. Pediu mais tempo para provar que era inocente. Ao que consta, Gonçalves foi solícito, mas não deu esperanças. Arruda ligou para o amigo Aécio Neves, governador de Minas, que também entrou no circuito em solidariedade. Em vão. Logo depois, bastou um telefonema do ministro para a cúpula da PF. Como se sabe, no dia seguinte, 150 policiais federais foram às ruas de Brasília, Goiânia e Belo Horizonte para busca e apreensão de documentos. O DEM faz cena. Sabia de Arruda em risco. Prova disso é que tenta blindar senão o governador, pelo menos o partido. Na surdina, a cúpula da legenda promoveu ontem à noite um jantar com quatro ministros do Supremo Tribunal Federal, na casa de um senador.