sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Recordar é viver...Ou: em busca da trOlHa perdida...

A partir de hoje, republicaremos alguns textos que tratam das agruras dessa planície...São o que podemos chamar de "clássicos", que em boa parte deram a reputação, para o bem, ou para o mal(pouco nos importa), a esse espaço...

Leia essa trolhada aí...Todo dia, reeditaremos uma...

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Os quatro cavaleiros do apocalipse e o abraço de afogado...

Eis o exército de Brancaleone, que na planície lamacenta está condenado a afundar, soterrado pelos próprios erros e ignomínias...

1-cabral, o governador desgovernado...Popularidade em queda, com os adversários na sua "cola", e prestes a disputar um eleição que poderá sepultar sua carreira política como o governador que conseguiu perder uma disputa a reeleição, mesmo contando com o apoio do presidente mais popular da História do país, e sem qualquer oposição digna desse nome, ou seja, perderá para si mesmo...

2-hélio ano(r)mal...o político que entrará para o anedotário local como o candidato que se tentasse uma nova disputa eleitoral, acabaria devendo votos ao TRE...Também conhecido como o mercador de ilusões, na medida que "vende" a imagem de uma liderança que não tem...Isolado em seu partido, sem voto e nem cargo em governo...reduzido ao tamanho de sua representatividade, ou seja, quase nada...!

3-arnaldo popozão melancia vianna...um dos sobreviventes do telhado de vidro, conhecido como político-submarino...Submergiu após a derrota que sofreu para seu padrinho,hoje padastro político...É daqueles que só operam política no poder...Sua atuação parlamentar beira a mediocridade...

4-a folha de embrulhar peixe podre...grupo econômico que, eventualmente, vende tablóides e espaços na TV e rádio...Perdeu a condição de "voz da oposição", e hoje se debate contra os blogs, enquanto afunda na falta de credibilidade que construiu, com uma postura que mescla:Conservadorismo, manipulação e adesismo...Sabe que o fracasso de cabral, com uma possível vitória do PT ou do napoleão da lapa, a deixaria no "deserto", sem nenhuma gota da fresca verba de publicidade oficial e outros negócios...

Nenhum comentário: