quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A solidão do poder...

Há tempos, esse blog já percebeu e publicou aqui...Faltam quadros para a gestão municipal...O entra-e-sai, vai-e-volta de correligionários, e a acumulação de cargos são sintomas de que a prefeita não consegue montar uma equipe que dê as respostas que a população espera ter, após tê-la conferido uma vitória significativa nas urnas...

Não é possível mais aludir a "herança maldita", nem a precocidade da administração...

Com o avizinhamento das eleições estaduais, onde o marido-prefeito pode concorrer ao cargo de governador, o problema tende a se agravar, com a migração dos "melhores quadros" para a campanha...

O problema não é simples...

Alguém poderia sugerir que a prefeita poderia ampliar o leque de alianças, e estabelecer um diálogo mais amplo com setores organizados da sociedade, e com os centros de formação acadêmica, onde buscaria os subsídios para a formulação de políticas públicas de gerenciamento da cidade...

O modus operandi do grupo da Lapa não autoriza que essa interlocução se efetive...

Falta confiança e credibilidade...

Com as Universidades, principalmente a UENF não há quem acredite em um diálogo duradouro com o jeito lapiano de governar...Nas entidades da sociedade civil, idem...

Com o cacoete centralizador e anti-democrático do processo decisório, só atendem ao chamado da prefeita aqueles que tenham interesses pessoais que possibilitem "engolir" gigantescos batráquios...

Assim, a cidade vai afundando...Como sempre dissemos: são bons de campanha, mas péssimos de administração...

Nenhum comentário: