sábado, 19 de dezembro de 2009

TrOLhada CulTUrAL...

O Farofa Carioca foi o grupo musical que catapultou o, hoje, onipresente, Seu Jorge...O som fusion de samba-soul, com pitadas de pop...Letras fáceis, tipo chiclete de ouvido, com rara sensibilidade pela crônica de costumes...

Nossa homenagem a todos os Robsons, os decentes com mães que trabalham duro, e outros, nem tanto, e suas intermináveis agonias que os une nesse flagelo...

Rabisca Robson

Robson era um cara legal
Sujeito decente, cria da área
Sua mãe trabalhava duro
Pra botar comida em casa
Enquanto ele estudava
Cursando o segundo grau

Mas se arrasou e começou a vacilar
Quando passou a andar
Com o bonde do mal
Começou a freqüentar boca-de-fumo e botequim
Ficou popular como Robson Rabisquim

"Rabisca, Robson"
A galera dizia
"Rabisca, Robson"
Que agonia
"Rabisca, Robson"
A galera dizia
- Que agonia, essa vontade não pára

Robson Rabisquim, ele era chamado assim
Passava a noite arrastando corrente
Igual a um zumbi
De vez em quando "dava uns mole"
Perdia pros "home", tomava tapa na cara
Perdia o sono e a fome

No meio da galera, suadão, ele sempre chegava
Falando muito alto, com o olho arregalado
Nervoso, diferente, griladão e preocupado
Olhando preocupado para todos os lados
Olhando preocupado para todos os lados
Procurando saliva
Pondo a língua pra fora toda hora
Rabisca, Robson!
Robson Rabisquim...ele era chamado assim

Nenhum comentário: