sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

TROLhADA do leitoR...

Publicamos a reclamação do leitor que chegou pelo e-mail...

noite de cão

Sou morador das proximidades da Lapa e, por motivos compreensíveis, não vou me identificar, mas relato o seguinte:

Na noite/madrugada de ontem eu, minha família e vizinhos não dormimos por conta de uma festa realizada na comunidade da Tira-Gosto, que teve início por volta das 19h e só acabou perto das 5h da manhã de hoje. Começou com música Pop, pagode e depois da meia-noite reinou o funk absoluto, estrupando nossos tímpanos. O volume do som era tão alto que a impressão é de que a aparelhagem estava dentro da nossa sala, mesmo que estivéssemos a centenas de metros de distância.

Será que a lei do silêncio, que proíbe som alto após às 22h foi revogada?

O que chamou a atenção dos pententes, nós moradores dos bairros próximos (e não tão próximos assim, pois um amigo que mora no outro lado do Paraíba também foi incomodado pela festa), foi a insistência dos locutores em agradecer o “apoio total” da prefeita Rosinha Garotinho, do secretário de Cultura, Orávio de Campos e do presidente da Fundação Oswaldo Lima, Alevino Ferreira, para a realização da festa.

No desespero, fui ao catálogo em busca dos telefones dos três homenageados. Achei o de Orávio, mas ninguém respondeu.

Escrevo esse desabafo para a Ouvidoria da Prefeitura de Campos na esperança de que as autoridades citadas não concordem com o abuso cometido. Por mais sensível que sejam às manifestações culturais das comunidades, não podem concordar que essas manifestações firam os direitos dos outros, especialmente ao sagrado direito ao sono. Envio cópia ao Ministério Público, jornais e alguns Blogs da cidade.

Agradeço a publicação e as providências que confio sejam tomadas.

Cidadão-eleitor insone

9 comentários:

a hiena disse...

Mano, essa história é mais antiga do que cagar de cócoras. Foi assim com as favelas do Rio (Chagas Freitas, Moreira Franco, Garotinho,Rosinha...), onde os governantes fazem vistas grossas aos donos da boca, da comunidade... porque ali impera só uma vontade.... e essa vontade certamente redundará em votos... ainda mais com esse tipo de apoio... Não tenha dúvidas... se eles nãoconseguem parar o tráfico, quanto mais esse tipo de festa... o jeito é melhorar a acústica do seu apartamento... ou fornecer cd's do seu gosto....

Anônimo disse...

Xacal, e quanto a ùltima noite de terça-feira, como foi? Qual foi o resultado? O que ficou decidido? Eu não pude ir, estou em Niterói, mas gostaria de saber como foi...
Beijinhos, Bia.

Xacal disse...

Nós nos reunimos, e traçamos os planos necessários para dominar o mundo...rsrrs...

Um abraço...

Anônimo disse...

pô, hiena, voltou pegando pesado!

Anônimo disse...

Posso estar enganado, mas há uns meses foi feita uma reclamação literalmente idêntica a essa.

Xacal disse...

eu também desconfiei...

Anônimo disse...

Que planos? Eu quero participar...
Conta Xacal!!!

O SURDO disse...

Sim,

Foi feita esta mesma reclamação ipsis litteris. Independente disto o problema é crônico mesmo.
Basta ter uma casa próximo a uma praça que deveria servir de lazer para crianças, mas que serve de "abrigo" para quiosques que sequer alvará de funcionamento tem e para um bando de cachaças com seus carros rebaixados, sons potentes tocando um pagodinho e um funk de 5ª categoria, isto se é que se pode categorizar este tipo de música.
E o que mais me espanta é a inércia do pode público com a situação, pois CGM, PM, postura simplesmente nada fazem.

É a concretização do famoso: o incomodado que se mude.

O SURDO
Morador do Praça do Santo Amaro, vizinho do quiosque do General.

Xacal disse...

a primeira parte do plano é afastar os curiosos...