quinta-feira, 12 de maio de 2011

Que alívio...ufa...

Bom, de acordo com o novo tom (soft ou light, como queiram)dedicado pelo mais novo veículo de propaganda da pmcg, nós agora demos o "passo" que faltava, e temos um "epidemia de dengue"...

Nossa, que enorme e importante novidade...

Um exemplo claro e acabado de como falar de um assunto, sem trazer nada relevante ou que esclareça sobre o tema...E assim vamos, "passo a passo", desinformados e sem condições de cobrarmos da autoridades as responsabilidades de quem as têm...

Ora, é inadmissível conviver com o número anual de mortes causadas pela dengue...

Pior é repetir, de forma irresponsável e criminosa que a culpa é do vasinho de planta ou do morador...

A perenidade endêmica dos casos e das mortes revela que nosso sistema de saúde pública municipal não formula, planeja e executa a fiscalização, controle e tratamento adequados para evitar que os resultados sejam os mesmos: trágicos...

Dengue é um problema sanitário, de âmbito público, com providências em escala (coleta de lixo, limpeza de logradouros e terrenos baldios), e intervenções na esfera privada do morador (entrada compulsória e multa agregada ao IPTU e com lançamento na dívida ativa caso haja reiteração de conduta displicente com as determinações sanitárias)...
Assim como o motorista que ameaça a vida de outros é multado, deve ser penalizado o morador que ameaça a saúde pública com a manutenção da insalubridade em seu imóvel...

Mas a agenda eleitoral e falta de coragem dos nossos administradores impedem que vidas sejam salvas...

O Ministério Público e a Polícia deveriam apurar e processar a negligência dos administradores (prefeita e secretário de saúde), para propor as sanções previstas para homicídios na modalidade culposa...

Só assim, vinculando a falta de providências ao resultado(mortes) Vossas Excelências se mexerão para erradicar uma doença que foi banida no início do Século XX, quando as condições sanitárias e tecnológicas eram infinitamente piores...

Afinal de contas, quando algo dá certo os governantes correm a cobrar o (justo)reconhecimento por suas ações...como imaginar um critério distinto quando dá errado...?

Nenhum comentário: