quinta-feira, 2 de junho de 2011

Dois pe$o$ e nenhuma medida...

...de caráter...!

Essa é a nossa mídia local, e boa parte de nossa elite e de nossa classe média...!

Vejam vocês que para reclamar das ações da polícia civil, na repressão às fraudes do IPVA, um chorôrô imenso, juristas, etc, e a reivindicação do direito de ir e vir, e sagrado direito de propriedade, e toda a chantagem contra a presença de fuzis e dos agentes nas ruas, com a velha cantilena: "não somos bandidos"...Como se crime e bandidos tivessem nomes (cor preta, 19 a 35 anos e pobres) e endereços certos (favela)...

Ahhh, tá....tudo bem...

Mas cadê os protestos contra a presença de tropas de choque no 5º Distrito, policiais esses treinados para combates, referência inclusive para outras polícias do mundo, como a policia israelense(que aprendem como espancar/matar palestinos aqui)...????

Ué, fuzis e força bruta contra produtores rurais que ali estão para defender seu direito de...propriedade...e de ir e vir...????

Será que para nossa mídia de coleira local, algumas propriedades valem mais que outras...??? Há direitos diferentes...????
Carros com placas fraudulentas são mais importantes que pequenos produtores nas terras que plantaram toda sua vida...?????

Claro que não...é que o verbo, por aqui, sempre depende da verba...!!!!

Um comentário:

Anônimo disse...

Existiam concessionárias e agências que dagavam o emplacamento do carro, só que esse brinde só ocorria com placas do Espírito Santo.
A polícia sabe muito bem dessas empresas, por que não começa a investigação pelos carros que elas venderam?
É só instaurar o IP e solicitar que eles mandem a relação de carros e compradores dos últimos anos.
Portanto, a ostentação de fuzis é desnecessária e ofensiva também.
Põe em risco todos os que estão passando na rua e não só os marginais que fraudaram endereço para "se dar bem".
Quanto ao silêncio conivente da mídia, em face do constrangimento imposto aos produtores do açu, isso "é normal", afinal, quem pode gastar milhões em publicidade ou para tapar os olhos ante a algum escândalo, não são aqueles produtoreszinhos preguiçosos, mas sim o Mister X. Você esperava alguma coisa diferente da nossa respeitável imprensa? Ora, O Globo, A Folha de São Paulo, O Estadão, a revista Veja, etc. cresceram tanto fazendo isso e coisa até piores, por que o jornaleco campista poderia estar fadado ao insucesso?