segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Negócios da china em leilão libanês...

Os imigrantes e descendentes da colônia libanesa, e outros povos oriundos do Oriente Médio, são conhecidos pela sua habilidade nos negócios, principalmente, na atividade comercial...foi na região da Mesopotâmia, às margens do rios Tigre e Eufrates (como me ensinou a Professora Marluce lá nos idos de 1980), que surgiram os primeiros ajuntamentos dedicados ao comércio perene, que originaram cidades e Impérios...

Na região e no Brasil, boa parte dos "brimos" fizeram sucesso, e não raro vão a loucura com nossa mania simplista de chamarmos de "turcos"...

Na política regional, a aproximação das eleições de 2012 aguçou o faro para "negócio$" de um conhecido médico libanês local...

Cortejado como novidade, embora encarne os mesmo defeitos e cacoetes dos gestores que sugaram bilhões de reais e o futuro dessa cidade, todos se perguntam: O que fará em seguida...?

A história recente e sua biografia política não deixa dúvida: Vai para o lado que oferecer "melhores oportunidades", e que atenda os desejos de seu ego patológico e incontrolável...


Piadinha rápida, carregada de preconceito e lugar comum:


Youssef e Ibrahim eram sócios em um comércio em uma rua de uma cidade do norte-fluminense.


Pais orgulhosos e rigorosíssimos, cientes da necessidade de passar adiante os costume e a cultura de cada povo, assim que os rebentos estavam em idade de entendimento, passaram a levá-los ao comércio, cada qual com seu o seu,  onde aprenderiam as artes do comércio, o convívio, enfim, a vida....


Primeiro dia, primeira lição: 


Ibrahim segura o pequeno David no colo, coloca-o sentado no balcão e ordena: 
-Pula, Ibrahim, pula no colo "da papai". Sem vacilar, o menino se atira e Ibrahim o segura, e diz: Primeira liçon: 
-Confiança é tudo, David...


Youssef repete a cena, coloca o pequeno Yasser no balcão e ordena, com os braços abertos:
-Pula, Yasser... O menino repete o gesto do coleguinha, mas Youssef se afasta e deixa o garoto se estatelar no chão...


Youssef diz: 
-Primeira liçon:  Libanês não confia em ninguém, minha filho...

6 comentários:

Anônimo disse...

muito bem xacal, a sátira mudou de foco é assim mesmo, temos que atirar em todos.

xacal disse...

em todos não, só os que eu acho que mereçam....rs

Anônimo disse...

então a caça ao "politicu sujis" é seletiva??????

xacal disse...

toda atividade humana é seletiva...

porque, afinal, não há politicu sujis sem uma sociedade que lhe dê ambiente para proliferar...

não há política suja que nasça de uma sociedade virtuosa...

portanto, nossa caça não se restringe a pessoas, mas aos modelos que elas representam, que em suma, dão o habitat necessário para que as pragas comam nosso dinheiro...

caça a todo mundo pode significar caça a nós mesmos...no fim das contas, democracia e política servem a escolher quem será caça e quem será caçador...

um abraço...

Anônimo disse...

xacal, até um certo ponto concordo que a própria sociedade proporciona as oportunidades, mas existe a qustão do caráter pervertido isto é individual, este não é produto do meio e entendo que este deve ser combatido ferozmente, a mudança de pensamento da sociedade somente virá com exemplos ou punitivos ou de educação. Agora me deixou dúvidas quanto ao uso da democracia e da politica como caçador e caçado ou vice-versa, ja que na minha cabeça se usa a politica como caçador passa a ser didator, se usa a democracia como caçador é agitador???

xacal disse...

comentarista...

o que é determinante e importante para nós(ou deveria) é o caráter formal e coletivo que limita e regula o caráter individual, SEMPRE, e nunca o contrário...

um "santo", um político honestíssimo e reto em um ambiente corrupto, ou pior, com escolhas que privilegiem o interesse privado sobre o bem estar público é inócuo e inoperante...apenas serve para lustrar sua biografia e estimular mitos autoritários ou mártires...nenhum dos dois exemplos servem a causa democrática...

quanto a questão da caça e caçador, explico: a sociedade deve caçar os privilégios, os favores, os particularismo, o uso da coisa pública como propriedade particular, o uso de recursos para desequilibrar o jogo democrático e manter a desigualdade social e econômica...esse é o sentido de caça e caçador...

é um contrato(social), uma mandato, nos moldes da representatividade e da legitimidade institucional, nada que se refira a "violência" política, como podem sugerir os termos...